Património

Habitada desde tempos pré-históricos, pela sua localização privilegiada e estratégica, Palmela apresenta vestígios das várias culturas que por aqui passaram. Palco das lutas da conquista cristã aos Mouros, é D. Afonso Henriques que lhe atribui o primeiro foral, em 1185. A escolha do Castelo de Palmela, em 1443, como sede da Ordem Militar de Santiago de Espada durante cinco séculos é um marco fundamental da sua identidade.
Hoje, o Centro Histórico da vila de Palmela é um local sereno, onde o século XXI toca eras remotas.
Entre as gentes, os largos típicos e os monumentos nacionais, Palmela é um encontro com a História.

Castelo
Com ocupação islâmica entre os sécs. VIII-XII, foi conquistado por D. Afonso Henriques e definitivamente recuperado por D. Sancho I. Sede da Ordem de Santiago até à sua extinção, em 1834, é hoje, Monumento Nacional.
Igreja de Santiago
De traça gótica, o templo alberga o túmulo de D. Jorge, último Mestre da Ordem de Santiago e é, hoje, uma sala de exposições de excelência.

Convento da Ordem de Santiago
Datado dos sécs. XVII-XVIII, o antigo convento foi recuperado, para se transformar numa luxuosa Pousada histórica.

Museu Municipal no Castelo
Visite, no Castelo, a reserva visitável de S. Tiago, o Espaço de Transmissões Militares, os espaços arqueológicos e as exposições temporárias.

Igreja de Santa Maria do Castelo
Primeira igreja paroquial de Palmela, provavelmente do século XII, ficou em ruínas desde o terramoto de 1755. A antiga sacristia foi recuperada para instalar o Gabinete de Estudos sobre a Ordem de Santiago.

Igreja da Misericórdia
Edifício seiscentista, apresenta as paredes revestidas a azulejos do séc. XVII e o Altar-mor de talha joanina.

Paços do Concelho
Edifício principal da Câmara Municipal de Palmela, este belo edifício apresenta um Salão Nobre decorado com retratos murais dos soberanos de Portugal, desde o conde D. Henrique a D. Manuel I.

Igreja de S. Pedro
De origem medieval, o atual edifício da Igreja Matriz da Vila de Palmela data da segunda metade do século XVI. Apresenta um notável revestimento azulejar barroco, que retrata a vida apostólica de S. Pedro.

Pelourinho
Datado de 1645, é Monumento Nacional desde 1910.

Casa Mãe da Rota de Vinhos da Península de Setúbal/ Costa Azul
Nesta antiga adega recuperada, pode obter informações sobre a Rota de Vinhos, efetuar provas, marcar visitas às adegas e adquirir produtos regionais e os vinhos dos produtores aderentes.

Chafariz D. Maria I
Decorado com as antigas armas da Vila de Palmela, foi restaurado e remodelado no reinado de D. Maria I.

Capela de S. João Baptista
Datada do séc. XVII, foi classificada como Imóvel de Valor Concelhio.

Estação de Caminhos de Ferro do Pinhal Novo
Construção de finais dos anos 30 do século XX a Estação possui 23 painéis de azulejos datados de 1938, representando diversas paisagens do distrito de Setúbal.
Os temas centrais são da autoria de João Rodrigues – com base em fotografias de Manuel Giraldes da Silva –, a produção de Faiança Battistini de Maria de Portugal – Fábrica de Cerâmica de Lisboa.
A Estação recebeu, em 1946, o 2º Prémio no Concurso das Estações Floridas e diversos 1ºs Prémios, no Concurso das Estações bem cuidadas, ao longo dos anos 70.

Torre de controle e sinalização ferroviária da Estação de Pinhal Novo
Da autoria do Arqtº Cotinelli Telmo constitui um notável edifício funcionalista.
Foi classificada em 2001 como Imóvel de Interesse Municipal pela Assembleia Municipal de Palmela.







Ponte ferroviária do Zambujal
Dando acesso à Herdade do Zambujal (Águas de Moura), esta estrutura férrea foi construída em 1913/14, tendo a circulação ferroviária sido desativada em 1980.
Junto à ponte a Ribeira da Marateca entra na Reserva Natural do Estuário do Sado: os arrozais dão aí lugar às marinhas.

Moinhos de Vento
Os moinhos de vento do concelho de Palmela localizam-se maioritariamente na Serra do Louro.
São moinhos fixos, de torre (em pedra), com tejadilho móvel e sistema de tracção por meio de sarilho interior, normalmente designados por moinhos de tipo Sesimbra.

Herdade e Palácio de Rio Frio
Localizada na Freguesia de Pinhal Novo, esta herdade constitui um dos melhores exemplares de arquitetura/urbanismo do início do século XX.
A casa senhorial, usualmente designada "palácio", foi projetada pelo Arqt.º José Luís Monteiro, estando decorada com azulejos de Jorge Colaço inspirados em temas agrícolas e vitivinícolas da herdade.


Capela de S. Luís da Serra
Esta ermida tornou-se num local de culto de pastores da região da Arrábida. As preces eram feitas no sentido de manter pastos suficientes para a alimentação do gado, principalmente nos quentes Verões, pelo que se instituiu uma romaria no início da Primavera, em finais de Abril, ao protetor dos animais. As oferendas, que em tempos foram de animais vivos, são agora simbolizadas em figuras de cera.

Capela da Quinta da Escudeira
Capela de romaria, de meados do séc. XVIII, situa-se no Vale de Barris. A ela ocorrem devotos de Nossa Senhora da Escudeira, no fim-de-semana mais próximo do dia 15 de Agosto (Dia da Assumpção de Nª Senhora).
Integrada numa herdade rural, propriedade privada, destaca-se a sua fachada barroca, de cerca de 1750, com um portal lavrado com motivos decorativos inspirados em modelos correntes.

Capela de S. Gonçalo
Situada em Cabanas, constitui um pequeno templo de romaria ligado ao culto da proteção do gado e mandado construir pelos Marqueses de Minas, séc. XVI, antigos proprietários da Quinta da Torre.
Classificado como Imóvel de Interesse Municipal, desde 2002.







Museu da Música Mecânica
O Museu da Música Mecânica tem como missão o estudo, preservação, valorização, divulgação e fruição de uma coleção particular representativa da música mecânica, decorrente sobretudo entre os
finais do séc. XIX até à década de 
30 do séc. XX. O Museu integra diferentes valências funcionais – área expositiva, sala documental, auditório, sala multiusos, loja, cafetaria – que numa perspetiva integrada promoverá exposições, espetáculos, workshops, conferências, reuniões de trabalho, festas de aniversário e outros eventos de cariz cultural, educativo e/ou de lazer.